#Fórumcast, o podcast da Fórum
26 de março de 2018, 11h41

STF não deve se curvar ao delírio de importância de Sérgio Moro

O Supremo Tribunal Federal não deve se apequenar, se curvar a pressões do juiz de primeira instância, Sérgio Moro - Por Laurez Cerqueira

Por Laurez Cerqueira

O STF se apequenou quando engavetou o pedido de anulação do criminoso impeachment da presidenta Dilma e até colaborou com o golpe comandado pelos conspiradores Aécio Neves, Michel Temer, Eduardo Cunha, Augusto Nardes, todos investigados e acusados de corrupção, de pertencerem a organização “longa manus”, como denomina a Polícia Federal.

Aliás, Augusto Nardes, ministro do Tribunal de Contas da União, autor do famoso relatório das falsas “pedaladas fiscais”, que serviu de base para o processo de impeachment da presidenta Dilma, está nas páginas policiais, delatado recentemente por Luiz Carlos Velloso, ex-subsecretário de transportes do Rio, por envolvimento em esquemas de corrupção.

O STF não deve se submeter a pressões de grupos que agem com ligações politico-partidárias articulados dentro do judiciário, do Ministério Público e da Polícia Federal, subordinados a interesses de agentes do FBI, do Departamento de Justiça dos Estados Unidos, ou à onda fascista que se alastra no país.

Ceder a essas pressões é reduzir o STF a um órgão despachante de condomínios de gerentes de interesses externos, de grandes corporações transnacionais que atuam na redução do estado nacional ao mínimo.

É colaborar com a construção da hegemonia do grande capital e com o poder da governança privada de conglomerados financeiros nacionais e internacionais, recentemente instalados em mega escritórios de lobbies nos arredores da Praça dos Três Poderes e da Esplanada dos Ministérios, em Brasília.

Parece que é isso que a presidenta do STF, ministra Carmem Lúcia, talvez ainda não tenha se dado conta ou finge que não sabe.

O STF precisa se agigantar, erguer a Constituição bem alto e cumprir com seu dever de alertar todos os magistrados para que se curvem a ela e a respeitem, como fazem os magistrados das nações mais desenvolvidas do mundo, de cidadania e democracia consolidadas.

Afinal, a defesa da Constituição é a essência do STF e as garantias fundamentais da presunção de inocência, do devido processo legal e do estado democrático de direito, a razão de existir do tribunal.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum