Padrinho de Flávio Bolsonaro diz que teve “apoio técnico” para chegar à Secretária de Esportes

Padrinho de casamento de Flávio Bolsonaro, o jornalista Marcelo Magalhães tomou posse como Secretário Especial de Esportes apresentando como credenciais "mais de 15 anos de experiência no setor esportivo"

Em seu discurso de posse como novo secretário especial do Esporte nesta terça-feira (10), o jornalista Marcelo Magalhães, padrinho de casamento do senador Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ), disse que contou com o “apoio de pessoas altamente técnicas” para chegar ao cargo.

“Talvez essa missão seja muito difícil, mas, com o apoio que tive na minha chegada de pessoas altamente técnicas e que me deram suporte, acho que não teremos problemas se a gente conseguir jogar junto, pensar junto e olhar o futuro de maneira ampla”, disse Marcelo, sob olhar de Flávio Bolsonaro, que ocupava lugar de destaque na cerimônia.

Magalhães afirmou que tem como “desafio” fortalcer a imagem do profissional de educação física. “Acho que a gente deve primeiramente, dentro dessa pasta, fortalecer a imagem do profissional de educação física. Esse será meu grande desafio, porque por anos a gente viu a pirâmide sendo invertida”, afirmou, complementando que “a base, o colegial e o universitário deixaram de ser trabalhados. Então, juntamente com a pasta social, esperamos fazer algo relevante e transformador”.

Formado em jornalismo pela Universidade Gama Filho (RJ), Marcelo Magalhães tem como “credenciais” mais de 15 anos de experiência no setor esportivo, onde atuou como consultor, gestor de carreiras, captador de patrocínios e produtor de conteúdos voltados para múltiplas plataformas midiáticas.

Avatar de Plinio Teodoro

Plinio Teodoro

Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR