Fórum Educação
03 de março de 2020, 09h42

Perito confirma adulteração de dados pela Odebrecht usados para incriminar Lula: “O criminoso entregou o cadáver embalsamado”

Leia a íntegra da representação da defesa de Lula ao STF com diálogos de peritos da PF que apontam que os sistemas MyWebDay B e Drousys, da Odebrecht, podem ter sido adulterados pelos procuradores da Lava Jato para incriminar o ex-presidente

Dallagnol e o power point contra Lula (Arquivo)

Em representação ao ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, protocalada nesta segunda-feira (2), os advogados que fazem a defesa do ex-presidente Lula – liderados por Cristiano e Valeska Zanin Martins – detalham os áudios dos peritos da Polícia Federal que apontam que os arquivos dos sistemas MyWebDay B e Drousys, da Odebrecht, podem ter sido adulterados pelos procuradores da Lava Jato para incriminar o petista.

Segundo os advogados, “embora os sistemas da Odebrecht tenham sido apreendidos na Suíça, o material que foi analisado pela Polícia Federal não é proveniente daquele país; o material analisado foi entregue pela Odebrecht após a empresa
ter obtido cópia na Suíça e “mexido” no material; e não houve qualquer conferência entre o material entregue pela Odebrecht com o material que foi apreendido originariamente pelas Autoridades Suíças”.

As conversas mostram que Roberto Brunori Junior e Aldemar Maia Neto, peritos criminais da PF, tiveram acesso ao material em reunião realizada com Cláudio Wagner, que conduziu a perícia, e reconheceram que os arquivos “gerados pela Odebrecht” possuem “datas posteriores às apreensões” do material.

Nas conversas gravadas com a autorização de todos os presentes, um dos peritos levanta a questão de que a “Odebrecht recebeu da Autoridade Suíça e ela abriu isso [os arquivo], e mexeu nisso, durante muito tempo ficou com isso lá”. Um assistente confirma: “A aparência é essa”.

O assistente técnico diz, então: “Eu só quero alertar isso, o criminoso entregou o cadáver embalsamado”.

Em outra parte da conversa, o perito identificado como 1, confirma a adulteração dos dados dos sistemas pela Odebrecht, que inclui informações posteriores às apreensões.

“Que ela encapsulou isso tá no laudo, inclusive tá provado que o arquivo que foi gerado lá, inclusive, tem arquivos com datas posteriores às apreensões que a gente mostra que foram geradas pela Odebrecht”.

Leia a representação da defesa de Lula na íntegra


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum