Fórumcast, o podcast da Fórum
20 de outubro de 2017, 08h02

PF encontra anotações de valores da Odebrecht e Braskem na casa de Aécio

Papel manuscrito com valores de 200 mil e 510 mil relacionados às duas empresas foram encontradas pela Polícia Federal durante buscas e apreensões na casa do tucano, no âmbito da Operação Patmos.

Papel manuscrito com valores de 200 mil e 510 mil relacionados às duas empresas foram encontradas pela Polícia Federal durante buscas e apreensões na casa do tucano, no âmbito da Operação Patmos.

Da Redação*

Durante buscas e apreensões das investigações da Operação Patmos, a Polícia Federal encontrou, na casa do senador Aécio Neves, anotações com valores de R$ 200 mil e R$ 510 mil relacionados à Odebrecht e à Braskem. No papel manuscrito, ao lado da anotação ‘CNO’ (Construtora Norberto Odebrecht), aparecem os nomes ‘Pimenta’ e ‘Direção Estadual’. Ao lado de ‘Braskem, o tucano anotou ‘Direção Estadual’. Para os investigadores, os valores ‘provavelmente’ são ‘monetários’ e são ‘possivelmente fruto de atividade ilícita’. As informações são de reportagem de Luiz Vassalo, do Estado de S.Paulo.

As buscas e apreensões na casa de Aécio Neves se deram em maio, quando o senador foi afastado do cargo por decisão do ministro Luiz Edson Fachin, à época em que foi deflagrada a Patmos. No âmbito da Operação, o tucano foi gravado pedindo R$ 2 milhões a Joesley Batista, acionista da JBS. Os valores teriam sido repassados ao primo do senador, Frederico Pacheco, o Fred, e as primeiras tratativas teriam sido realizadas pela irmã do senador, Andrea Neves, ambos flagrados em ação controlada da Polícia Federal. Aécio foi denunciado por corrupção passiva por supostas propinas de R$ 2 milhões dos delatores.

A Polícia Federal enviou ao Supremo relatório sobre cada item encontrado na casa do senador e dos demais investigados na Patmos. De acordo com o documento, um dos itens é uma ‘folha manuscrita composta de três anotações com nomes e números podendo ser valores em moeda nacional’.

*Com informações do Brasil247

Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

 

 


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum