Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
02 de abril de 2019, 15h39

“Quem vai consumir?”, questiona deputado a industriais pró-Reforma da Previdência

Pergunta de Paulo Ramos (PDT-RJ) quebrou discurso dominante de sessão na Câmara marcada pela defesa de representantes da indústria à reforma da Previdência

Deputado Paulo Ramos (PDT-RJ) - Foto: Cleia Viana/Câmara dos Deputados

“Quem vai consumir?”, questionou o deputado federal Paulo Ramos (PDT-RJ) nesta terça-feira (02), em discurso dissonante durante Sessão Solene da Câmara na qual a Confederação Nacional das Indústrias (CNI) pautou a Reforma da Previdência como principal pauta do setor produtivo junto ao Congresso Nacional.

Em seu pronunciamento, o parlamentar pontuou que os brasileiros precisam de renda para consumir a produção da indústria brasileira e questionou o conceito de “privilégio” disseminado pelo governo Jair Bolsonaro (PSL) quando se refere, especialmente, a servidores públicos que, hoje, podem receber o benefício da aposentadoria em valor acima do teto do INSS.

Paulo Ramos citou como exemplo que, já tributados em 27,5% no Imposto de Renda, esses trabalhadores arcariam com alíquotas maiores, em caso de aprovação do texto da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) da chamada “Nova Previdência” – perdendo, na fonte, quase metade de seus vencimentos.

Na avaliação do deputado, isso pode ocasionar ainda mais dificuldades para a indústria nacional.

Em seguida, o líder do PDT na Câmara, deputado André Figueiredo (CE), pontuou que, enquanto a previdência é apontada como “a mãe de todas as reformas”, o sistema financeiro consome R$ 80 bilhões todos os anos “para atender o rentismo”, em detrimento do setor produtivo.

O parlamentar comentou que, em dez anos, o dinheiro gasto chegaria perto do trilhão que Bolsonaro espera economizar com a reforma.

Apesar do incômodo ao discurso até então dominante, os deputados do PDT arrancaram aplausos do público presente ao defender o Sistema S, cujo orçamento está no alvo do ministro da Economia, Paulo Guedes.

 

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum