Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
23 de fevereiro de 2019, 10h29

Secretário de Assuntos Fundiários de Bolsonaro: “hoje, o maior latifundiário do País é o índio”

Nabhan é presidente licenciado da União Democrática Ruralista (UDR), amigo de Bolsonaro e responsável pela reforma agrária no governo

O secretário de Assuntos Fundiários do Ministério da Agricultura, Luiz Antônio Nabhan Garcia - Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

O secretário especial de Assuntos Fundiários, Luiz Antonio Nabhan Garcia, afirmou em entrevista ao Estadão, publicada neste sábado (23), que “hoje, o maior latifundiário do País é o índio”, disse.

Presidente licenciado da União Democrática Ruralista (UDR), amigo de Bolsonaro e responsável pela reforma agrária, Nabhan foi alvo de críticas, recentemente, por ter recusado pedidos de parlamentares para nomeações no Incra, mas afirmou não acreditar em retaliação no Congresso por causa de cargos. “Não pode haver essa picuinha entre Executivo, Legislativo e Judiciário”, argumentou.

Sobre a revisão na demarcação de terras indígenas, como a Raposa Serra do Sol, Garcia afirmou que não se pode permitir um Estado “quase 90% à mercê de políticas ideológicas”. Ele disse ainda que “há interferência ideológica no Executivo, no Legislativo e no Judiciário. Decisão judicial se respeita, mas, no meu entendimento, houve equívoco do Supremo Tribunal Federal na questão da Raposa Serra do Sol”, completou.

A respeito da Amazônia Legal, no noroeste de Mato Grosso, o secretário citou um “laudo antropológico dizendo que existe a possibilidade de ter ali de seis a dez índios isolados. Aí vem o governo com toda aquela parafernália e decreta a desapropriação de 500 mil hectares. O que é isso? Tem muita gente que critica o grande latifundiário, mas hoje o maior latifundiário do País é o índio. Não podemos transformar o índio em megalatifundiário”, encerrou.

Leia a entrevista completa no Estadão


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum