Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
11 de junho de 2019, 07h31

Segunda turma do STF julga hoje pedido de nulidade de processo de Lula no caso Triplex

A retomada dos julgamentos de recursos de Lula acontece quando a Lava Jato e o ex-juiz Sergio Moro, que condenou o petista na ação, se encontram acuados diante da divulgação de conversas que mostram o conluio do magistrado com os investigadores do Ministério Público Federal

Foto: Reprodução/Justiça Federal do PR

A segunda turma do Supremo Tribunal Federal (STF) vai julgar nesta terça-feira (11) um pedido de nulidade do processo que condenou o ex-presidente Lula.

Leia também
Após vazamentos, Gilmar Mendes devolve pedido de habeas corpus de Lula para 2ª Turma do STF

O pedido é contra a decisão monocrática do ministro Felix Fischer, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que negou prosseguimento ao recurso do petista naquela corte. Para a defesa, a apreciação do recurso deveria ter sido colegiada, na Quinta Turma do STJ. O recurso tenta reverter a condenação no caso do tríplex de Guarujá (SP).

Em fevereiro, Fachin rejeitou o recurso dos advogados do petista. A defesa de Lula, então, recorreu novamente. O processo estava sendo analisado pelo plenário virtual do colegiado, mas, a pedido do ministro Gilmar Mendes, foi transferido para o plenário físico.

Vaza Jato
A retomada dos julgamentos de Lula acontece quando a Lava Jato e o ex-juiz, que condenou o petista na ação, Sergio Moro, atual ministro da Justiça de Jair Bolsonaro, se encontram acuados diante da divulgação de conversas que mostram o conluio do magistrado com os investigadores do Ministério Público Federal.

Em um dos áudios, o procurador Deltan Dallagnol diz ter dúvidas sobre o caso Triplex quatro dias antes de apresentar a denúncia contra Lula.

Embora a Quinta Turma do STJ tenha acabado julgando o caso e reduzindo a pena de Lula de 12 anos e um mês para 8 anos e 10 meses de prisão, os advogados sustentam que persistiu o que chamam de coação ilegal. De acordo com eles, não há correlação entre a acusação e a condenação contra Lula.

De acordo com eles, a acusação fala em três contratos específicos que teriam gerado recursos para a compra e a reforma do tríplex e que a vantagem indevida seria a propriedade do imóvel. Já as decisões condenatórias, dizem, reconhecem que não é possível dizer de onde teria vindo os valores e que ele não é prioritário ou possuidor, mas que o imóvel teria sido “atribuído” a ele.

No pedido de habeas corpus que vai a julgamento na Segunda Turma, a defesa pleiteia a anulação da decisão individual de Fischer que negou o prosseguimento do recurso no STJ. Para a defesa, a apreciação do recurso deveria ter sido colegiada, na Quinta Turma do STJ.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum