Senador Chico Rodrigues, do dinheiro na cueca, estende licença para 121 dias; filho assume mandato

Destituído da vice-liderança do governo Jair Bolsonaro no Senado, Rodrigues virou alvo de uma representação no Conselho de Ética no Senado e resolveu se afastar seguindo conselho do presidente do órgão, Jayme Campos (DEM-MT)

Acuado após ser flagrado com R$ 33 mil na cueca, o senador Chico Rodrigues (DEM-RR) resolveu estender o pedido de licença de 90 para 121 dias, ficando quatro meses fora do Senado e dos holofotes da política. A retificação foi protocolada nesta terça-feira (20).

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), aceitou a solicitação de afastamento. No entanto, Chico Rodrigues continuará sendo representado na casa pelo filho, Pedro Arthur Ferreira Rodrigues (DEM-RR), que é seu primeiro suplente e vai assumir o cargo.

Destituído da vice-liderança do governo Jair Bolsonaro no Senado, Rodrigues virou alvo de uma representação no Conselho de Ética no Senado e resolveu se afastar seguindo conselho do presidente do órgão, Jayme Campos (DEM-MT).

O objetivo é deixar que o tempo abafe o caso até que o parlamentar possa voltar ao Congresso.

Enquanto isso, Rodrigues deve se ocupar de sua defesa no Supremo Tribunal Federal (STF), já que o ministro Luís Roberto Barros determinou seu afastamento. A decisão será analisada em plenário nesta quarta-feira (20).

Avatar de Plinio Teodoro

Plinio Teodoro

Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.