Senadora Eliziane Gama ironiza fuga de Pazuello da CPI: “Vai sem máscara pro shopping e não pode vir à CPI”

Um dia antes de depor, o general Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde de Bolsonaro, alegou que teve contato com dois assessores com Covid-19 e, por isso, não poderá comparecer à CPI do Genocídio

A senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) ironizou a fuga do general Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde do governo Jair Bolsonaro (Sem partido), que alegou que teve contato com dois assessores para não depois na CPI do Genocídio nesta quarta-feira (4).

Notícias relacionadas

“Anda sem máscara e não pode vir à CPI”, disse a senadora, pedindo a palavra. “Presidente Omar (Aziz), só lembrando exatamente isso, né? Vai sem máscara pro shopping e não pode vir à CPI”, disse a senadora.

O início da sessão, que deve ouvir outros dois ex-ministros – Luiz Henrique Mandetta (DEM-MS) e Nelson Teich -, foi marcada por bate-boca entre senadores governistas e oposicionistas.

Autor da proposta da CPI, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), discutiu com o presidente do PP, Ciro Nogueira, líder da tropa de choque bolsonarista que, seguindo orientações do Planalto, contestava o plano de trabalho apresentado pelo relator Renan Calheiros (MDB-AL). “Não precisa se desesperar pelo Planalto”, ironizou Randolfe.

Avatar de Plinio Teodoro

Plinio Teodoro

Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.