Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
04 de março de 2019, 17h30

Três anos da coercitiva ilegal de Lula e o circo de horror de Moro e Dallagnol

Naquela manhã, a casa de Lula e de seus filhos foi invadida por policiais armados em busca de algo que procuram até hoje: uma prova de que o ex-presidente havia cometido algum crime

Foto: Ricardo Stuckert

Por Lula.com

Há exatos três anos, o promotor Deltan Dallagnol e o ex-juiz Sérgio Moro avançavam seu circo de horror particular e ilegal com a condução coercitiva do ex-presidente Lula.

Naquela manhã de sexta-feira a casa de Lula e de seus filhos foi invadida por policiais armados em busca de algo que procuram até hoje: uma prova de que o ex-presidente havia cometido algum crime. Qualquer crime.

Aquela sexta marcou o início de um processo de devastação familiar que implicou na morte de Dona Marisa menos de um ano depois do espetáculo da Lava Jato. Era o início de um projeto que tiraria Lula do convívio com sua família e com o povo brasileiro.

A ação não tinha justificativa legal nem amparo na lei. Hoje, depois de feito o trabalho político de Moro, foi restabelecido que conduções coercitivas são ilegais. Com uma vida pública minuciosamente inspecionada há mais de 40 anos, Lula nunca havia se negado a prestar depoimento às autoridades. A batida não encontrou malas de dinheiro, mas levou o tablet de seu neto, o pequeno Arthur, com quem Lula seria injustamente impedido de conviver em seus últimos meses de vida.

Acordaram crianças arrombando casas, levaram seus pertences, humilharam e condenaram perante boa parte da sociedade e não encontraram nada que incriminasse os Lula da Silva.

O objetivo era impedir Lula de voltar à Presidência. E hoje, três anos depois, a tragédia que sucedeu o plano de Moro afetou não só a família de Lula, mas milhões de famílias brasileiras lançadas ao abismo por um governo desastroso eleito em consequência dos interesses políticos que moviam a operação daquele 4 de março.

Lula está preso injustamente e Moro goza de seu prêmio, um cargo de Ministro da Justiça que não pode indicar uma suplente de conselho. Fica o aviso de Lula antes de ser preso: “Eu sei como eu vou passar para a História. Não sei como eles vão passar, se como juízes ou como algozes”.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum