Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
15 de junho de 2019, 11h12

VÍDEO: Em programa dos EUA, Glenn diz que áudios foram feitos pelo Whatsapp e Telegram

Mensagens em áudio ainda não foram incluídas nas matérias do The Intercept

O jornalista Glenn Greenwald concedeu entrevista para o programa norte-americano Democracy Now pontuando as matérias feitas pelo The Intercept que geraram a mais nova crise dentro do governo Jair Bolsonaro. O fundador do site disse ter áudios de conversas entre o ministro da justiça Sérgio Moro e de procuradores do Ministério Público Federal envolvidos na Operação Lava Jato.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo

Grewnwald afirmou que esses áudios ainda não foram publicadas na série de reportagens e por isso preferiria não comentar sobre o assunto, mas garantiu que as mensagens foram feitas a partir de aplicativos como Whatsapp e Telegram. O conteúdo dessas conversas são mais longos, por isso os envolvidos preferiam fazer pequenos monólogos do que digitar grandes textos.

Na entrevista o jornalista diz que o que muitos acreditavam está acontecendo durante o julgamento do ex-presidente Lula está se confirmando nas matérias. “Muitas pessoas dizem no Brasil que o que Lula disse, especificamente que Moro conseguiu uma posição ou que ele era forçado a condenar Lula, ou que ele estava unicamente obcecado por isso, que as elites brasileiras estavam demandando isso dele”.

Na noite deste sexta-feira (14) o The Intercept publicou nova matéria, mostrando desta vez que Sérgio Moro, juiz do caso na época, pediu para que o MPF publicasse uma nota confrontando o depoimento de Lula. Moro ainda teria dito que isso deveria ser feito “após o showzinho da defesa”.

Veja a entrevista de Greenwald abaixo:


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum