Cartas do Pai: 250 mil

Nas Cartas do Pai de hoje, Ivan Cosenza presta sua homenagem às 250 mil vítimas fatais da Covid-19 e relembra o Brasil feliz

Publicidade

Rio de Janeiro, 23 de Fevereiro de 2021.

Pai,

Chegamos a 250 mil mortos por Covid-19!

Quanta diferença dos anos em que a esquerda estava no poder, né?

Nossa indústria crescia e hoje foi destruída pela Lava Jato.

Nossa produção de petróleo garantia preços baixos e financiava Saúde e Educação, e hoje a gasolina tá cada vez mais cara nas bombas, pra garantir mais lucro pros acionistas.

Exportávamos carne, embalada e dando emprego pra milhares de brasileiros, e hoje exportamos bois para frigoríficos lá de fora, dando emprego pra eles.

Tínhamos uma indústria naval forte e crescendo e hoje o governo a boicota, e compra plataformas lá fora.

Vacinávamos 80 milhões de brasileiros em três meses quando tivemos a H1N1 e hoje o governo ignora a oferta de 160 milhões de doses de vacina contra a Covid-19, deixando o povo morrer.

Tínhamos o Bolsa Família, ajudando a tirar milhões de brasileiros da miséria, e hoje o governo só que pagar auxílio emergencial se puder diminuir a verba que iria para Saúde, Educação e Segurança.

Tínhamos um presidente que não impedia que seus filhos fossem investigados (sem que nada fosse encontrado contra eles) e hoje temos um presidente que tenta atrapalhar as investigações de corrupção de seus filhos, que tentam anular todas as provas que já existem, se escondendo atrás do sigilo que sempre criticaram.

250 mil já se foram e esse número deve dobrar até o fim do ano.

Publicidade

Não sei quando vou ser vacinado, pai!

Possivelmente só no ano que vem.

Vacina este ano?

Só se eu for pra Cuba!

Um beijo do seu filho,

Ivan

Avatar de Ivan Cosenza de Souza

Ivan Cosenza de Souza

Cronista, produtor cultural, curador da obra de Henfil, seu pai, e presidente do Instituto Henfil. Escreve as Cartas do Pai para a Revista Fórum.
Henfil veste Pela Esquerda. Camisa da Ursal à venda no link abaixo:

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR