Cartas do Pai: Médico faz tudo

Ivan Cosenza de Souza comenta os problemas intestinais de Bolsonaro: “Afinal de contas, de onde vem tanta merda?”

Rio de Janeiro, 17 de julho de 2021.

Pai,

O presidente foi internado com problemas intestinais.

Parece que ele está com uma obstrução, causada por excesso de massa fecal. Acho que deveriam fazer exames mais profundos e descobrir uma coisa que vem intrigando não só os brasileiros, mas pessoas pelo mundo todo!

Afinal de contas, de onde vem tanta merda?

Diariamente, sai uma quantidade imensa deste ser que habita o planalto. Quando a gente acha que já acabou, lá vem mais um monte. Não falha nunca!

Mas pra isso foi destacado o médico faz tudo do presidente. Não sabia que oncologia era uma especialidade tão ampla.

Originalmente, seria pra tratar câncer, coisa que o Bozo “nunca teve”, mas este faz de tudo. Precisou de um atestado pra não precisar ir em um debate, ou numa CPI, é só chamá-lo.

Ele opera facadas psicológicas.

Trata de hemorroidas.

Cuida de prisão de ventre.

O curioso é ver uma pessoa que está se cagando de medo de uma CPI, alegar estar com prisão de ventre.

Não podemos acreditar em nada do que ele fala. É tanta fake news que a gente descobre agora que até quando ele disse: – “Caguei!” – ele estava mentindo.

Já eu tenho orgulho de olhar pro presidente e poder dizer: – Essa merda eu não fiz!

Um beijão do seu filho,

Ivan

*Este artigo não reflete, necessariamente, a opinião da Revista Fórum.

Avatar de Ivan Cosenza de Souza

Ivan Cosenza de Souza

Cronista, produtor cultural, curador da obra de Henfil, seu pai, e presidente do Instituto Henfil. Escreve as Cartas do Pai para a Revista Fórum.
Henfil veste Pela Esquerda. Camisa da Ursal à venda no link abaixo:

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR