Atila Iamarino faz mea-culpa após falar em “autoritarismo necessário” no caso de vacinas

Cientista que ficou famoso nas redes falando da pandemia defendeu em coluna na Folha de São Paulo que será necessário calar vozes antivacina ou tornar dose compulsória e depois considerou título “infeliz”

Em sua coluna na Folha de São Paulo desta quarta-feira (13), o cientista Átila Iamarino defendeu que, para barrar a pandemia do novo coronavírus, será necessário “calar vozes antivacina ou tornar vacina necessária”. O título do texto era “Autoritarismo necessário”. Ele apanhou nas redes devido à defesa de um autoritarismo – qualquer que seja. E, então, resolveu publicar um mea-culpa em seu Twitter.

“Como fui bem infeliz no título e na linha fina da coluna da Folha de hoje, deixo a conclusão”, escreveu ele. No post, ele publicou reprodução do último parágrafo do artigo.

No texto, Iamarino falava sobre estudos que mostram que fake news e desinformação não vão embora sem a escolha consciente de barrar algumas ideias do debate público. Citou como exemplo a cloroquina. Em outros países, escreveu, já não se debate seu uso no tratamento da Covid-19, após estudos mostrando a falta de eficácia. Contudo, no Brasil a polêmica continua porque se tornou parte de um debate político. E diz que os antivacinas seguem a mesma lógica por aqui e que as informações falsas que disseminam precisam ser barradas.

Assim, conclui: “Não devemos abrir mão do poder de escolha e da liberdade de expressão. Mas como outro filósofo, Jason Stanley, lembra em sua obra “Como Funciona o Fascismo”, para que escolhas sejam realmente livres, quem escolhe precisa ser bem informado. Quem é enganado é privado de escolhas. E quem escolhe não se vacinar porque não quer virar jacaré e prefere pegar Covid porque é só uma gripezinha está muito enganado e condena muitos a pagar pelo erro”.

O trecho foi reproduzido em sua publicação no Twitter.

Leia a coluna completa de Átila Iamarino na Folha desta quarta-feira (13) aqui.

Avatar de Fabíola Salani

Fabíola Salani

Graduada em Jornalismo pela Universidade Metodista de São Paulo. Trabalhou por mais de 20 anos na Folha de S. Paulo e no Metro Jornal, cobrindo cidades, economia, mobilidade, meio ambiente e política.

Em 2021, escolha a Fórum.

Todos os dias Fórum publica de 80 a 100 matérias desde às 6h da manhã até à meia-noite. São 18h de textos inéditos feitos pela equipe de 10 jornalistas da redação e também por mais de três dezenas de colaboradores eventuais.

E ainda temos 3 programas diários no YouTube. O Fórum Café, com Cris Coghi e Plínio Teodoro, o Fórum Onze e Meia, com Dri Delorenzo e este editor, e o Jornal da Fórum, com Cynara Menezes. Além de vários outros programas semanais, como o Fórum Sindical, apresentado pela Maria Frô.

Tudo envolve custos. E é uma luta constante manter este projeto com a seriedade e a qualidade que nos propomos.

Por isso, neste momento que você está renovando suas escolhas e está pensando em qual site apoiar neste ano, que tal escolher a Fórum?

Se fizer isso, além de garantir tranquilidade para o nosso trabalho, você terá descontos de no mínimo 50% nos cursos que já temos em nossa plataforma do Fórum Educação.

É fácil. Clique em apoiar e escolha a melhor forma de escolher a Fórum em 2021.

Renato Rovai
Editor da Revista Fórum

APOIAR