Lula bomba nas redes ao lembrar 2009: “Ford investe R$ 4 bilhões no Brasil”

O tuíte do ex-presidente foi feito no momento em que a Ford anuncia o fim de suas atividades no país

“Notícia boa, mas é de outra década. O ano era 2009”. A frase do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva bombou nas redes, na madrugada desta terça-feira (12), ao lembrar o investimento de R$ 4 bilhões da empresa no país, o maior da história da montadora americana no país.

Na época, o presidente da Ford para as Américas, Mark Fields, afirmou que o investimento no Brasil é o maior feito pela companhia no mundo nos últimos cinco anos:

“O Brasil agiu rapidamente na crise, já está demonstrando sinais de estabilidade e planos de desenvolvimento sustentável”, disse.

O tuíte de Lula foi feito no momento em que a Ford anuncia o fim de suas atividades no país. A montadora estadunidense anunciou nesta segunda-feira o fim da produção de veículos no Brasil. A empresa vai fechas as suas três fábricas remanescentes no país, em Camaçari (BA), Taubaté (SP) e Horizonte (CE).

“A produção será encerrada imediatamente em Camaçari e Taubaté, mantendo-se apenas a fabricação de peças por alguns meses para garantir disponibilidade dos estoques de pós-venda. A fábrica da Troller em Horizonte continuará operando até o quarto trimestre de 2021. Como resultado, a Ford encerrará as vendas do EcoSport, Ka e T4 assim que terminarem os estoques”, diz nota divulgada pela empresa.

Avatar de Julinho Bittencourt

Julinho Bittencourt

Jornalista, editor de Cultura da Fórum, cantor, compositor e violeiro com vários discos gravados, torcedor do Peixe, autor de peças e trilhas de teatro, ateu e devoto de São Gonçalo - o santo violeiro.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR