terça-feira, 27 out 2020
Publicidade

“Stop Bolsonaro Mundial” tem protestos em 19 países contra destruição de florestas e negligência à pandemia

Uma faixa gigante foi erguida no gramado do Congresso para marcar o ato do #StopBolsonaroMundial e lembrar os 150 mil mortos da Covid-19

Neste domingo (11), mais de 19 países participam da terceira edição do “Stop Bolsonaro”, mobilização mundial contra as políticas ambientais adotadas pelo presidente Jair Bolsonaro. A negligência do ex-capitão em relação à pandemia da Covid-19 também é tema de protesto.

De acordo com a Central Única dos Trabalhadores (CUT), que também participa dos atos, manifestações ocorrem em Estocolmo, Madri, Amsterdã, Cidade do Cabo, Cidade do México, Genebra e Munique, entre outras cidades. O movimento vem ocorrendo desde junho como forma de denunciar “a destruição da nação brasileira promovida por um governo fascista, genocida e ecocida”.

“O movimento Stop Bolsonaro Mundial vem, desde junho deste ano, denunciando as atrocidades cometidas por uma gestão voltada aos interesses da elite, dos bancos e dos ricos”, afirmam os organizadores do evento.

Redes sociais como Facebook, Instagram e Twitter amanheceram repletas de imagens dos protestos ao redor do mundo. No Brasil, uma faixa gigante foi erguida no gramado do Congresso Nacional com a hashtag #ForaBolsonaroMourãoeCentrão, assim como os dizeres “+150.000 mortes” e “uma imensa dor que poderia ter sido evitada”. Transmissões ao vivo também estão sendo realizadas como forma de repercutir o ato.

No Twitter, o candidato do PSOL à Prefeitura de São Paulo, Guilherme Boulos, protestou contra a negligência do governo em relação às queimadas no Pantanal. “Mais de 1/4 do Pantanal já queimou. Temos as MAIORES QUEIMADAS DA HISTÓRIA no Pantanal e da década na Amazônia. Documentos mostram que Guedes e Salles ATRASARAM A CONTRATAÇÃO DE BRIGADISTAS em 4 MESES. Não é coincidência”, escreveu.

A deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ) também repercutiu o ato, dizendo que o presidente “nunca se importou” com a pandemia ou com o desemprego. “Bolsonaro não se importa e nunca se importou com as vidas perdidas na pandemia, com o desemprego alto, com a violência nas cidades. Bolsonaro é um estrago no país, uma vergonha mundial, um erro na História”, afirmou na rede social.

Confira a repercussão do ato nas redes:

Luisa Fragão
Luisa Fragão
Jornalista.