Advogados pedem que MP investigue blogueira que disse que racismo é “natural e instintivo”

Luísa Nunes Brasil falou para um público de mais de 50 mil pessoas que racismo é algo que "teremos que conviver". Grupo diz que blogueira fez uso irresponsável de sua rede social

Um grupo de advogados negros levou ao Ministério Público de São Paulo uma representação que pede que a blogueira Luísa Nunes Brasil seja investigada por racismo. A influenciadora havia publicado uma série de vídeos alegando que racismo é “natural e instintivo” porque negros “cometem mais crimes”.

“Racismo vai existir enquanto a maior quantidade de crimes for cometida por pessoas negras. É um instinto de defesa da gente”, disse a blogueira nos stories do Instagram, no dia 4 de junho. Após uma série de denúncias de internautas, o perfil da blogueira foi deletado da rede social.

Vídeos da blogueira foram feitos em resposta ao movimento antirracista Black Lives Matter (Vidas Negras Importam), que eclodiu na semana passada após o assassinato de George Floyd nos Estados Unidos. O homem negro foi morto por um policial branco, que permaneceu com o joelho em seu pescoço durante sete minutos.

Na representação levada ao MP, o grupo diz que Luísa fez uso irresponsável de sua conta no Instagram, que na época tinha mais de 55 mil seguidores, e “disseminou uma opinião carregada de preconceito, discriminação e que reforça padrões e esterótipos negativos”.

Os advogados também afirmam que os procuradores devem se manifestar pois “é preciso que práticas racistas sejam efetivamente investigadas e punidas, com todo o rigor da lei”. A informação é do jornal O Globo.

Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.