Caos em BH: Teto de shopping cai em meio à tempestade

Clientes se assustaram com parte do teto do BH Shopping cedendo com a força da água; ruas na região viraram verdadeiros rios e há centenas de pessoas isoladas pela enchente

Publicidade

As chuvas que vêm atingindo o estado de Minas Gerais nos últimos dias causaram novos estragos na capital Belo Horizonte. Na noite desta terça-feira (28), parte do teto do BH Shopping, famoso centro de compras localizado em uma das áreas mais nobres da cidade, cedeu sob os clientes que estavam no último andar.

Vídeos que circulam nas redes sociais mostram o momento da queda do teto e da entrada da água, deixando lojistas e consumidores assustados. Até o momento, não há registro de vítimas.

Ruas nos entornos do shopping, com a enchente, se transformaram em verdadeiros rios e há centenas de pessoas isoladas em diferentes pontos da capital mineira.

Os bairros mais afetados nesta noite são na região Oeste, Centro-Sul e Barreiros.

Confira, abaixo, alguns vídeos recebidos pela reportagem da Fórum que mostram a situação calamitosa da capital mineira em meio à enxurrada.

 

 

Caos 

Mais cedo, a Defesa Civil de Minas Gerais atualizou o número de mortes causados pelas chuvas dos últimos dias: 52. As principais causas das mortes no estado foram os soterramentos, desabamentos e desmoronamentos, além dos casos de afogamentos e vítimas arrastadas pela água.

Leia também
Criança de 2 anos morre em MG em enchente; resgate não conseguiu chegar a tempo

Ao todo, para além das mortes, segundo números oficiais, 28,8 mil pessoas estão desalojadas, 4,3 mil desabrigadas e 65 feridas.

Fora a capital Belo Horizonte, 101 cidades de MG decretaram situação de emergência.

Publicidade

 

Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR