sexta-feira, 18 set 2020
Publicidade

Caos em SP: Bombeiros registram mais de 160 desabamentos em meio à chuva

O Corpo de Bombeiros da cidade de São Paulo divulgou, no final da tarde desta segunda-feira (10), um novo balanço sobre o caos instaurado na capital paulista por conta da chuva.

Ao todo, entre meia noite e 15h, a corporação recebeu 7.650 chamadas de emergência, sendo 932 por enchentes, 166 por desabamentos ou desmoronamentos e 182 por quedas de árvores.

Mesmo com a diminuição da chuva, a cidade segue com mais de 70 pontos de alagamento, o que deixou a população ilhada. Muitos perderam seus carros e centenas não conseguiram ir ao trabalho. A recomendação da Defesa Civil é que as pessoas evitem sair de casa.

Não há registros, até o momento, de vítimas por conta das chuvas.

Prefeito não entregou obras

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), entregou apenas oito piscinões desde o início de sua gestão. O número corresponde a menos da metade do que foi prometido quando assumiu o cargo, em 2018. Obras do tipo são essenciais para minimizar os problemas causados pelas enchentes.

De acordo com levantamento da revista Exame, a promessa do prefeito tucano era de que 19 piscinões seriam entregues na capital paulista. Hoje, a estimativa é bem mais baixa: apenas 13 obras contra enchentes devem ser concluídas. No ano passado, Covas anunciou a conclusão de cinco piscinões.

De acordo com Covas, no entanto, o excesso de chuvas foi a principal causa dos alagamentos nesta segunda (10).

“Desde as 3h, em alguns pontos da cidade choveu metade do que era previsto para o mês de fevereiro, o que levou ao transbordamento dos rios Tietê e Pinheiros e prejudicou a fluidez das águas da chuva, alagando várias vias da capital paulista. Para se ter uma ideia, dos 51 pontos de alagamento na cidade neste momento, 40 são nas marginais Tietê e Pinheiros”, disse o prefeito.

Ivan Longo
Ivan Longo
Jornalista e repórter especial da Revista Fórum.