Fórumcast, o podcast da Fórum
07 de setembro de 2019, 18h31

Distribuição de livros LGBT censurados na Bienal do Rio tem fila gigante

Felipe Neto havia anunciado a compra de 10 mil exemplares para serem doados ao evento. No fim, esse número aumentou para mais de 14 mil, todos entregues lacrados, em resposta irônica à exigência de Crivella

Livros doados por Felipe Neto na Bienal do Livro do Rio. (Foto: Reprodução)

A distribuição dos livros com temática LGBT, comprados e doados pelo youtuber Felipe Neto, formou uma fila gigante na Bienal do Livro do Rio de Janeiro. A distribuição gratuita estava marcada para meio dia, mas entrega durou cerca de apenas duas horas. Inicitativa do youtuber veio como resposta à tentativa de censura do prefeito do Rio, Marcelo Crivella, a obras LGBT do evento.

Se você curte o jornalismo da Fórum clique aqui. Em breve, você terá novidades que vão te colocar numa rede em que ninguém solta a mão de ninguém

Felipe Neto havia anunciado a compra de 10 mil exemplares para serem doados ao evento, No fim, esse número aumentou para mais de 14 mil — todos entregues lacrados, em resposta irônica à exigência de Crivella. A seguinte mensagem foi escrita em cada embalagem: “Este livro é impróprio para pessoas atrasadas, retrógradas e preconceituosas. Felipe Neto agradece a sua luta pelo amor, pela inclusão e pela diversidade”.

Apesar das filas gigantes, a distribuição ocorreu sem maiores problemas. Os livros empacotados foram colocados no centro de uma praça no Rio Centro, onde acontece a Bienal, e duas filas foram formadas para as pessoas receberem os exemplares. O tempo de espera não passava de 10 minutos.

Como os livros entregues eram voltados ao público juvenil, a maior parte da fila foi formada por adolescentes. Alguns deles seguravam bandeira do orgulho LGBT+ ou vestiam acessórios com as cores do arco-íris. O pouco tempo de espera na fila fez com que muitos visitantes conseguissem pegar mais de um exemplar. Com isso, a praça da Bienal virou uma espécie de mercado de escambo, com pessoas trocando livros repetidos como se trocassem figurinhas do álbum da Copa.

Manuela D’Avila compartilhou nas redes sociais um vídeo que mostra a quantidade de pessoas que agurdavam na fila para receber seu exemplar. É assim que nós reagimos à censura. O amor é a resposta para o ódio”, escreveu na publicação.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum