Ouça o Fórumcast, o podcast da Fórum
28 de novembro de 2019, 16h20

”Ele foi uma vítima do governo, que manda matar para depois perguntar”, critica tia de médico morto por PM

Viviane Santos Rodrigues, esposa do endocrinologista Luiz Augusto Rodrigues, cobrou "investigação profunda" sobre a morte do marido

Foto: Reprodução

Viviane Santos Rodrigues, esposa do endocrinologista Luiz Augusto Rodrigues, cobrou “investigação profunda” sobre a morte do marido, morto durante abordagem da Polícia Militar em Goiás na madrugada desta quinta-feira (28). Uma tia do médico ainda culpou a política de segurança pública pela morte.

“Não sabemos o que aconteceu. Queremos que seja tudo esclarecido. O meu marido não atirou. O policial amigo dele que tirou a arma”, contou Viviane em conversa com Nathália Cardim, do Metrópoles. “O Luiz tem porte de arma, mas não andava armado. Queremos saber o que o amigo policial fez. Não é novidade para ninguém. Eu não aprovava essa amizade”, completou.

Não é sócio Fórum? Quer ganhar 3 livros? Então clica aqui.

Uma tia de Luiz Augusto ainda criticou a política de segurança pública ao comentar a morte do sobrinho. ”Ele teve uma vida difícil e vinha passando por um problema sério de saúde. Ele foi uma vítima do governo, que manda matar para depois perguntar”, disse à jornalista Malu Longo, do Jornal O Popular.

Rodrigues estava em um bar com um amigo, na quadra comercial 314/315 Sul. Dois policiais consideraram que os dois estariam em atitude suspeita. Eles estavam em frente ao Teatro dos Bancários, perto de uma caminhonete.

Os policiais deram voz de abordagem e, segundo os relatos da corporação, um dos homens sacou uma arma e apontou para os PMs. Um soldado reagiu e fez um disparo que acertou o médico. Ele foi afastado das ruas. A vítima estava desarmada. O homem que estava com o endocrinologista é um PM reformado e portava uma arma calibre .38.

“Ele era um médico renomado aqui no DF. Nós nos reencontramos 20 anos depois. Somos da mesma cidade, eu encontrei o Luiz quando ele estava separado e entrei na vida dele para somar. Eu administrava a clínica dele no shopping”, lamentou ainda a esposa da vítima.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum