segunda-feira, 26 out 2020
Publicidade

Polícia intima Record após homem ser assassinado por acusação no Cidade Alerta

A Polícia Civil investiga o assassinato de um homem em Salto, no interior de São Paulo, morto depois de ter sido exibido como suspeito de um crime no programa “Cidade Alerta”, da Record.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública afirmou que “oficiou a emissora solicitando cópia da matéria jornalística” e que a vítima, de 41 anos, “era investigada em uma ocorrência de desaparecimento de pessoa, porém sem indiciamento ou pedido de prisão”.

O homem foi encontrado com marcas de tiros às 23h30 da última segunda-feira (13), mesmo dia em que ele foi mostrado no programa. O “Cidade Alerta” abordava o assassinato da jovem Priscila Martins, 18 anos, que ocorreu em Salto, quando o apresentador Luiz Bacci disse que a polícia já tinha um suspeito e exibiu uma foto borrada do homem.

“Ainda não temos autorização para mostrar sem esse borrão. Mas quem conhece esse homem já passa informações para a polícia. Quem é amigo desse homem sabe quem é”, disse o Bacci. Ele chega a alertar: “Por favor, não façam justiça com as próprias mãos. Até porque ele é investigado”.

O programa chega a ligar o homem a dois assassinatos na cidade e usa a expressão “serial killer” (assassino em série, em inglês). No entanto, o filho da vítima declarou que após a reportagem moradores da região estiveram na casa do suspeito, o chamaram para conversar e o levaram para um local desconhecido.

Um policial disse ao jornal Folha de S. Paulo que as alegações de que o homem morto também seria suspeito por outros feminicídios na cidade de Salto que ocorreram de 2018 são amparadas em evidências duvidosas.

Ricardo Ribeiro
Ricardo Ribeiro
Correspondente da Fórum na Europa. Jornalista e pesquisador, é mestre em Jornalismo e Comunicação pela Universidade de Coimbra e doutorando em Política na Universidade de Edinburgh. Trabalhou na Folha de S.Paulo, Agora e UOL, entre 2008 e 2017, como repórter e editor.