quinta-feira, 22 out 2020
Publicidade

Senador do dinheiro nas nádegas deixa de ser vice-líder do governo Bolsonaro

Chico Rodrigues (DEM-RR) teria pedido afastamento da função, aceito pelo presidente, que publicou a destituição em edição extra do Diário Oficial

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) destituiu o senador Chico Rodrigues (DEM-RR), 69 anos, do cargo de vice-líder do governo no Senado. A decisão foi publicada em edição extraordinária do Diário Oficial da União (DOU) nesta quinta-feira (15).

Na função de vice-líder do governo, Chico Rodrigues representava o Palácio do Planalto dentro do Congresso. Ele foi escolhido diretamente pelo presidente para atuar como representante do governo entre os parlamentares.

Publicidade

“Nos termos do art. 66-A do Regimento Interno dessa Casa do Congresso Nacional, em atenção ao pedido do senhor Senador Francisco de Assis Rodrigues, solicito providências para a sua dispensa da função de Vice-Líder do Governo no Senado Federal”, diz a mensagem publicada.

Chico Rodrigues foi flagrado com dinheiro em sua cueca na última quarta-feira (14) pela Polícia Federal em uma operação realizada em Roraima, que investigava desvios de recursos destinados ao combate à Covid-19.

Publicidade

A ação de busca e apreensão foi realizada na casa de Rodrigues. No imóvel, foram localizados R$ 90 mil no total – dos quais R$ 30 mil estariam em sua roupa íntima. O senador afirmou que  tem “um passado limpo e uma vida decente”.

Bolsonaro tentou se desvincular do caso, dizendo que não há corrupção em seu governo. Mas, na campanha, ele pediu votos para Rodrigues, dizendo que a amizade de ambos, de 20 anos, era quase uma “união estável”. O vídeo com essa declaração voltou a circular na internet nesta quinta-feira (15).

Fabíola Salani
Fabíola Salani
Graduada em Jornalismo pela Universidade Metodista de São Paulo. Trabalhou por mais de 20 anos na Folha de S. Paulo e no Metro Jornal, cobrindo cidades, economia, mobilidade, meio ambiente e política.