Rede vai ao STF para liberar vacinação de crianças "independentemente de prescrição médica"

"Nossa forma de brindar o nascimento de Jesus, é combatendo a sanha assassina de Herodes", disse o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) após Queiroga anunciar que só vai vacinar crianças mediante receita médica

Randolfe Rodrigues cobra do STF vacinação de crianças independentemente de receita médica (Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado)
Escrito en POLÍTICA el

O partido Rede Sustentabilidade protocolou nesta sexta-feira (24), junto ao Supremo Tribunal Federal (STF), uma ação para que o governo federal seja obrigado a liberar a vacinação contra a Covid-19 em crianças de 5 a 11 anos "independentemente de prescrição médica".

O pedido, que foi encaminhado especificamente ao ministro Ricardo Lewandowski, vem após o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, dizer que, depois da "consulta pública" sobre o tema que abriu, deve publicar um documento com orientações sobre a vacinação infantil, mas impondo algumas restrições, entre elas a necessidade de apresentação de receita médica autorizando a imunização.

“A nossa recomendação é que essa vacina não seja aplicada de forma compulsória. Ou seja, depende da vontade dos pais. E essa vacina estará vinculada a prescrição médica, e a recomendação obedece a todas as orientações da Anvisa”, disse Queiroga.

Para a Rede, no entanto, Queiroga e Jair Bolsonaro querem "emperrar" a vacinação de crianças, ressaltando que este público deveria ser protegido pelo governo, "e não o contrário, como parecem querer o presidente e seu ministro, aparentemente fiel ao negacionismo científico".

“Diante do exposto, requer, em tutela cautelar incidental de urgência, a determinação de que o Ministério da Saúde disponibilize, de forma imediata e em consonância com as recomendações técnicas da Anvisa, vacinas contra a covid-19 para as crianças de 5 a 11 anos, independentemente de prescrição médica ou de qualquer outro obstáculo imposto pelo Governo ao direito à saúde e à vida", escreve o partido na ação, relembrando que a aplicação de vacina da Pfizer em crianças foi aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

"Herodes"

Ao comentar sobre a nova ação no STF, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), comparou Jair Bolsonaro e Marcelo Queiroga ao Rei Herodes, personagem bíblico que, segundo a literatura católica, mandou matar crianças.

"Nossa forma de brindar o nascimento de Jesus, é combatendo a sanha assassina de Herodes. Acionamos o STF pedindo a disponibilização, por parte do @minsaude, de vacinas contra a Covid-19 para as crianças de 5 a 11, independentemente de prescrição médica!", escreveu Randolfe em seu Twitter.

O ex-presidente Lula (PT), pela manhã, também via redes sociais, fez a mesma comparação. "Às vésperas do Natal, o ministro da Saúde faz uma declaração absurda que parece de Herodes, enquanto cria obstáculos para a vacinação de crianças. O presidente da Anvisa tem razão ao querer proteger a instituição, a ciência e as crianças na pandemia, respeitando o bom senso", postou o petista.