FHC afirma que pode votar em Lula em 2022

Em entrevista ao Correio Braziliense, o tucano declara sua preferência a Lula em 2022 e se diz contra o impeachment de Bolsonaro.

FHC e Lula (Foto: Ricardo Stuckert)
Escrito en POLÍTICA el

Por Leandro Massoni

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (FHC), embora não se espante com os atos do governo de Jair Bolsonaro (sem partido), procura sempre colocar seus pontos de vistas referentes ao cenário atual e futuro da política no Brasil.

Em entrevista ao Correio Braziliense, FHC não acredita que o impeachment de Bolsonaro seja a melhor solução para o país. “É preferível que ele fique na presidência e perca no voto”, afirmou.

O tucano, que defende uma candidatura própria do PSDB “porque é assim que os partidos se afirmam” e alternância de poder, descarta seu nome como candidato e prefere ver “uma liderança que afirme um sentimento que bata no coração das pessoas”.

Apesar de sua influência no panorama político brasileiro e de sua liderança frente ao PSDB, FHC descarta ser uma espécie de ativista, como ele mesmo falou à entrevista.

“Eu posso, talvez, ter sido inspirador, num certo momento, apontando um caminho para o Brasil. Se depender de mim, é importante ter candidatura própria, é assim que os partidos se afirmam. Tem que ter uma liderança que afirme um sentimento que bata no coração das pessoas”.

Mas o ex-presidente conhece bem a realidade em que vivemos com a polarização política, o que pode inviabilizar um nome tucano à presidência ou qualquer outro que busque uma posição mais ao centro, ainda este ano.

Sendo assim, se ao final de 2022, a escolha for entre Bolsonaro e o ex-presidente Lula (PT), FHC não esconde sua preferência pelo petista: “No momento, eu penso que a de Lula é menos traumática para o Brasil, de forma direta”, declarou.

Para Fernando Henrique, é preciso “ter uma liderança que afirme um sentimento que bata no coração das pessoas”. Logo, em comparação ao capitão reformado, Lula seria sua escolha, caso não haja uma via pelo PSDB capaz de derrotar o militar nas próximas eleições. Contudo, prosseguiu, “isso não quer dizer que eu não queira uma via pelo PSDB, claro que eu desejo, mas uma coisa é você desejar e trabalhar neste sentido, e outra coisa é analisar a realidade. Assim, por ora, entre Lula e Bolsonaro, acredito que o Lula seja melhor”.