Arthur Virgílio considera “cretinice”, “absurdo e perversidade” pressão de Pazuello por cloroquina

Secretários estaduais de Saúde consideraram documento do governo como "esdrúxulo" e "loucura"

Arthur Virgílio (PSDB-AM), ex-prefeito de Manaus que acaba de encerrar o mandato, diz que fazer pressão para que a gestão municipal prescreva cloroquina é “cretinice”, “absurdo e perversidade”.

Virgilio, no entanto, defende outro medicamento que não tem eficácia comprovada contra a Covid-19, a ivermectina. Ele afirma que tomou o remédio quando foi contaminado pelo coronavírus.

O ex-prefeito também rebateu o presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido). Segundo Bolsonaro, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, foi a Manaus interferir diante do caos. “Não sei se ele consegue se considerar responsável pela morte de tanta gente que seguiu seus conselhos pouco ajuizados. Não sei se consegue colocar a cabeça no travesseiro. Se sim, tem algo de errado com ele. O que ele faz custa vidas e é irreparável”, afirmou Virgílio.

O documento causou espanto também entre secretários estaduais de Saúde, conforme informações do Painel, da Folha. O ofício foi tratado por eles como “esdrúxulo”, “loucura”, e dizem que, enquanto o mundo discute a vacina, o Brasil fala em remédios que não funcionam.

O ofício do ministério, assinado por Mayra Pinheiro, secretária de Gestão do Trabalho e da Educação da Saúde, diz que não utilizar estes medicamentos foi tratado como “inadmissível” em documento enviado para a secretaria municipal de Saúde de Manaus.

A Mayra tornou-se conhecida em 2013 por ter hostilizado cubanos que participavam de curso do Mais Médicos.

Uma foto publicada pela Folha de S.Paulo, mostra ela gritando e mandando eles de volta para a “senzala”. 

Com informações do Painel, da Folha

Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.

Em 2021, escolha a Fórum.

Todos os dias Fórum publica de 80 a 100 matérias desde às 6h da manhã até à meia-noite. São 18h de textos inéditos feitos pela equipe de 10 jornalistas da redação e também por mais de três dezenas de colaboradores eventuais.

E ainda temos 3 programas diários no YouTube. O Fórum Café, com Cris Coghi e Plínio Teodoro, o Fórum Onze e Meia, com Dri Delorenzo e este editor, e o Jornal da Fórum, com Cynara Menezes. Além de vários outros programas semanais, como o Fórum Sindical, apresentado pela Maria Frô.

Tudo envolve custos. E é uma luta constante manter este projeto com a seriedade e a qualidade que nos propomos.

Por isso, neste momento que você está renovando suas escolhas e está pensando em qual site apoiar neste ano, que tal escolher a Fórum?

Se fizer isso, além de garantir tranquilidade para o nosso trabalho, você terá descontos de no mínimo 50% nos cursos que já temos em nossa plataforma do Fórum Educação.

É fácil. Clique em apoiar e escolha a melhor forma de escolher a Fórum em 2021.

Renato Rovai
Editor da Revista Fórum

APOIAR