terça-feira, 20 out 2020
Publicidade

Bolsonaro ataca Macron e diz que francês está interessado em ter “um espaço” na Amazônia

Em live semanal pelo Facebook nesta quinta-feira (22), o presidente Jair Bolsonaro, abatido, comentou sobre a repercussão internacional das queimadas na Amazônia e as críticas que tem recebido devido a uma política ambiental complacente com a devastação da floresta que é considerada o pulmão do mundo. Ele fez uma crítica em especial ao presidente francês Emmanuel Macron, que convocou cúpula do G7 para debater sobre a Amazônia.

Bolsonaro considerou que a Comunidade Internacional tem interesse nas riquezas do solo da Amazônia e atacou os críticos, principalmente Macron. “Um país agora, não vou dizer o nome, falou em ‘a nossa Amazônia’. Teve a desfaçatez em falar ‘a nossa Amazônia’. Eles estão interessados em você em um dia ter um espaço aqui na região amazônica pra ele, tá certo?”, declarou.

“Nós temos que buscar equilibrar essa narrativa de notícias sobre essa região, tão rica em tudo, né? Em minérios, em biodiversidade, em água potável, em riquezas energéticas, grandes espaços vazios. É isso que o mundo tá de olho”, disse ainda.

O país que o Bolsonaro não quis citar o nome supõe-se ser a França, já que presidente francês fez uma publicação no Twitter chamando a Amazônia de “nossa casa”. O comentário, que tinha como objetivo chamar a atenção do mundo para a destruição da floresta, essencial para a biodiversidade do planeta, foi criticado por bolsonaristas, incluindo a deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP).

Macron ainda foi alvo de uma publicação feita pelo presidente brasileiro em que considerou a atitude de convocar o G7 como uma “mentalidade colonialista descabida no século XXI”.

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.