Ouça o Fórumcast, o podcast da Fórum
04 de novembro de 2019, 20h23

Gilmar Mendes vai analisar notícia-crime contra Eduardo Bolsonaro por declaração pró-AI-5

Na sexta-feira, o ministro do STF disse que "exaltar o período de trevas da ditadura é desmerecer a estatura constitucional da nossa democracia"

Foto: Nelson Jr./SCO/STF

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), foi o magistrado sorteado nesta segunda-feira (4) para relatar a notícia-crime apresentada por partidos de oposição contra o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), em razão de declarações a favor de um retorno do AI-5.

Gilmar fica responsável pela relatoria da notícia crime que aponta atos de improbidade, incitação e apologia ao crime por parte do filho 03 do presidente da República. Na sexta-feira (1), Gilmar criticou a fala de Eduardo no Twitter: “O AI-5 impôs a perda de mandatos de congressistas, a suspensão dos direitos civis e políticos e o esvaziamento do Habeas Corpus. É o símbolo maior da tortura institucionalizada. Exaltar o período de trevas da ditadura é desmerecer a estatura constitucional da nossa democracia”.

A denúncia apresentada por líderes de PT, PSOL, PCdoB, PSB, Rede, PDT e da Minoria pede que seja instaurado um processo penal contra Eduardo, depois que ele defendeu a volta do Ato Institucional nº 5 em uma entrevista concedida à jornalista Lêda Nagle. Os partidos ainda vão ingressar com um pedido de cassação de mandato no Conselho de Ética da Câmara.

Truculência

“Se a esquerda radicalizar a esse ponto, a gente vai precisar ter uma resposta. E uma resposta pode ser via um novo AI-5, pode ser via uma legislação aprovada através de um plebiscito como ocorreu na Itália, alguma resposta vai ter que ser dada, porque é uma guerra assimétrica, não é uma guerra onde você tá vendo seu oponente do outro lado e você tem que aniquilá-lo, como acontece nas guerras militares. É um inimigo interno, de difícil identificação aqui dentro do país. Espero que não chegue a esse ponto né? Temos que ficar atentos”, disse Eduardo durante entrevista.

O parlamentar chegou a se desculpar pela menção ao AI-5, mas manteve a posição de que seria necessária uma resposta truculenta contra manifestações promovidas pela esquerda.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum