Fórumcast, o podcast da Fórum
03 de abril de 2018, 11h26

Íntegra do discurso histórico de Valério Arcary: “Quem não sabe contra quem luta não pode vencer”

“Aqui estamos começando a erguer os tijolos de uma muralha na luta contra o fascismo", disse o professor

O professor e líder do PSOL, Valério Arcary, fez um discurso histórico, na noite desta segunda-feira (3), no Ato em Defesa da Democracia, no Circo Voador, no Rio de Janeiro, pela união de todos os partidos e forças populares contra o neofascismo.

“Quem não sabe contra quem luta não pode vencer. Contra o fascismo do nosso tempo, somos todos camaradas.”

Valério Arcary foi fundador e membro do PT durante 12 anos. De acordo com ele, desde 92, está foi a primeira vez em que subiu num mesmo palco em que estava o Lula. “São 26 anos. Fiz questão de vir hoje aqui. Estive durante muitos anos na direção do PSTU e, agora, a corrente no qual eu me integro no PSOL é a MAIS (Movimento por uma Alternativa Independente Socialista). É possível que daqui a uma semana haja uma ordem de prisão contra Lula. Assim como lutaremos contra o neofascismo, lutaremos ao lado do PT contra a condenação e a prisão do Lula. As diferenças do passado, as diferenças com as alianças que o PT decidiu fazer, não nos impedem de dizer: não haverá um só ato neste país contra a prisão do Lula onde a bandeira do PSOL não será levantada e com orgulho”, disse.

O professor fez ainda um alerta: “surgiu no Brasil uma corrente neofascista que tem audiência de massas e isto é novo. E esta corrente têm relações com milícias armadas que operam no subterrâneo da vida social brasileira. Não é acidental a execução de Marielle no Rio. Esta corrente ainda é minoria, mas se não for detida poderá crescer. O neofascismo do nosso tempo não é somente uma corrente exaltada, não é somente autoritária. É a barbárie, é o braço armado do capital.”

O discurso de Arcary pela unidade inflamou o local e se espalhou rapidamente pelas redes: “Aqui estamos começando a erguer os tijolos de uma muralha na luta contra o fascismo. Somos todos camaradas, aprendemos duramente que construir a Frente Única não significa ter adesão de um partido sobre outro. Não podemos mais ter medo das nossas diferenças.”

Valério Arcary

Valério Arcary, de acordo com informações do Wikipedia, é professor aposentado do IFSP (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia) onde trabalhou entre 1988 e 2014. É historiador marxista e ex-militante do PSTU e agora membro e fundador do PSOL/MAIS- MOVIMENTO POR UMA ALTERNATIVA INDEPENDENTE E SOCIALISTA, uma ruptura nacional do PSTU.

Foi militante estudantil durante a Revolução Portuguesa, eleito para a executiva nacional pró-UNEP por Lisboa. Voltando ao Brasil, em agosto 1978, uniu-se à Convergência Socialista e participou da greve dos metalúrgicos de Osasco. Participou do Congresso de Reconstrução da UNE de Salvador em 1979. Esteve presente na fundação do PT em 1980 e da CUT em 1983.

Foi secretário-geral da CUT regional São Paulo em 1985, eleito para o Direção Nacional do Partido dos Trabalhadores em 1987 e para a Executiva Nacional em 1989. Trabalhou como professor na rede estadual de ensino do Estado de São Paulo entre 1983 e 1989. Foi fundador e presidente nacional do Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU) entre 1994 e 1998. Foi reconhecido como anistiado político em 2013.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum