O que o brasileiro pensa?
27 de fevereiro de 2020, 14h08

Quem são os empresários do Brasil 200 que apoiam o golpe convocado por Bolsonaro

O grupo reúne nomes como Flávio Rocha, da Riachuelo, e Luciano Hang, da Havan

Empresários do grupo Brasil 200 (Foto: Divulgação)

Apesar de se classificar como um grupo apartidário, o Brasil 200 é fiel a Jair Bolsonaro desde a campanha eleitoral, em 2018. Hoje, os empresários usam de sua influência, poder e recursos para financiar ataques contra o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), e apoiar o ato golpista do próximo 15 de março convocado por Bolsonaro.

Vice presidente do Brasil 200, que arrecadava recursos para campanhas a favor de Bolsonaro, deixa grupo

O grupo é liderado por Gabriel Rocha Kanner, sobrinho do empresário Flávio Rocha, e tinha como vice-presidente Helcio Honda, advogado da Fiesp e de Paulo Skaf. O instituto também traz donos de grandes redes do atacado e varejo nacional, tais como a Havan, Centauro e Riachuelo.

O grupo é o mesmo que, em dezembro de 2018, lançou o projeto “Empregue Mais Um” para estimular a criação de vagas e turbinar o início do governo Bolsonaro. Os empresários também atuaram ao longo do primeiro ano do governo Bolsonaro em prol de pautas liberais, como a reforma da Previdência.

Além de Rocha, fazem parte do Brasil 200 Luciano Hang (Havan), João Apolinário (Polishop), Sebastião Bonfim (Centauro), Washington Cinel (Gocil), Edgar Corona (Smart Fit e Bio Ritmo), Cris Arcangell (Beauty’in e Shark Tank Brasil), Marcelo Pessoa (Galápagos Capital Gestora de Fundos), Afrânio Barreira (Coco Bambu) e Marcelo Braga (BNZ e Instituto Eu Amo o Brasil). Juntas, as empresas do Brasil 200 faturam mais de 40 bilhões de reais.

Matéria atualizada em 28/02/2020, às 13h35. Ao contrário do que havia sido informado, Helcio Honda não é mais vice-presidente do Brasil 200. Ele pediu sua desfiliação em 7 de fevereiro de 2020.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum