Fórumcast, o podcast da Fórum
02 de setembro de 2019, 13h00

Weintraub anuncia corte de metade dos recursos da Capes em 2020 e federais devem continuar na mesmice

Foram reservados somente R$ 2,2 bilhões para a Capes em 2020, frente os R$ 4,3 bilhões previstos neste ano

Abraham Weintraub. (Foto: Reprodução/Twitter)

Em projeto de lei orçamentária enviado ao Congresso, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, anunciou o corte da metade do orçamento da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) em 2020, principal responsável pelas bolsas de mestrado e doutorado no país. O argumento do ministro é que o corte é necessário para garantir que as universidades federais mantenham a mesma verba, já em contingenciamento, deste ano de 2019 no ano que vem.

Foram reservados somente R$ 2,2 bilhões para a Capes frente os R$ 4,3 bilhões previstos neste ano. “Quase tudo vai ficar igual ou melhor. O único lugar que teremos de apertar e vai aparecer número ruim será na Capes. Vai sair o número, o pessoal vai gritar, mas será resolvido”, disse o ministro ao jornal O Estado de S.Paulo.

Neste ano, a Capes já sofreu cortes consideráveis em seu orçamento e precisou congelar milhares de bolsas que seriam oferecidas a novos pesquisadores. O valor projetado no orçamento de 2020 da Capes, porém, é insuficiente para manter até mesmo bolsas atualmente em andamento.

O projeto de lei orçamentária destina R$ 101,2 bilhões para o Ministério da Educação em 2020, dinheiro que deverá arcar com todas as suas despesas obrigatórias, como os salários, e discricionárias, usadas para bancar custeio e investimento. No entanto, trata-se de uma queda significativa ante os R$ 123 bilhões aprovados para 2019.

Desmonte

Em junho deste ano, a Capes já havia anunciado oficialmente que cursos que receberam nota 3 nas duas últimas avaliações ou queda em avaliações mais longas teriam congelamento na entrada de novos bolsistas a partir deste mês. Com exceção da região da Amazônia Legal, estes cursos tiveram redução de 70% para novas bolsas, conforme anunciou Zena Martins em entrevista coletiva.

Ao todo foram barradas novas bolsas a 2.724 projetos de pesquisa, o que representa quase 3% do total de bolsas à pós-graduação. Segundo aquele anúncio, nenhum bolsista corrente seria afetado, cenário que deverá se complicar ainda mais a partir do ano que vem.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum