Fórumcast, o podcast da Fórum
06 de setembro de 2019, 13h33

Witzel discute com manifestante e o chama de “maconheiro”

“Olha o maconheiro aí, que tá gritando. Aqui você não vai fumar maconha não, parceiro. Vai fumar maconha em outro lugar”, disse o governador do Rio, após ser chamado de “fascista”

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Com a habitual truculência, o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, discutiu com um manifestante, durante a cerimônia de inauguração do projeto Laranjeiras Presente, nesta sexta-feira (6).

Chamado de “fascista” pelo homem que acompanhava do lado de fora das grades, Witzel rebateu e chamou o manifestante de “maconheiro”.

Se você curte o jornalismo da Fórum clique aqui. Em breve, você terá novidades que vão te colocar numa rede em que ninguém solta a mão de ninguém

“Olha o maconheiro aí, que tá gritando. Não tem espaço para você não, maconheiro. Aqui você não vai fumar maconha não, parceiro. Vai fumar maconha não. Aqui é ordem. Aqui nós vamos prezar pela ordem. Aqui você não vai fumar maconha, acabou essa brincadeira. Vai fumar maconha em outro lugar”, disse Witzel, no meio de seu discurso.

O manifestante não desistiu e questionou o governador: “Não vai falar sobre a milícia? Fala da milícia”, disse. Witzel respondeu, sem convencer: “Tá todo mundo sendo preso, rapaz. Presta atenção. Até os maconheiros”, ameaçou.

Prisão

Em julho, Witzel, anunciou mais uma medida radical e sem respaldo da lei: ele afirmou que iria mandar prender quem estivesse fumando maconha nas praias do Rio de Janeiro.

O governador fez o anúncio durante reunião com prefeitos do estado, referindo-se principalmente ao da capital, Marcelo Crivella. “E agora, prefeito, vou prender maconheiro na praia. Quem estiver fumando maconha na praia, eu vou prender”.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum