ELEIÇÕES 2022

"Moro 'coxinha' foi mexer na mortadela e se deu mal", diz deputado responsável por ação no TRE contra o ex-juiz

Com a decisão do Tribunal Regional Eleitoral, Sergio Moro deve disputar uma vaga na Câmara dos Deputados pelo estado do Paraná

"Moro 'coxinha' foi mexer na mortadela e se deu mal", diz deputado responsável por ação no TRE contra o ex-juiz.
Escrito en POLÍTICA el

Em entrevista ao Fórum Café desta quarta-feira (08) o deputado federal Alexandre Padilha (PT-SP), responsável pela ação que questionou a mudança de domicílio eleitoral do ex-juiz Sergio Moro no Tribunal Regional Eleitoral (TRE), afirma que a decisão foi importante e que Moro é uma pessoa que se acha “acima da lei” e que “desdenha da democracia”. 

“A justiça foi feita, porque Moro estava desdenhando da democracia brasileira e do povo que vive no estado de São Paulo. Moro chegou a desdenhar tanto que, quando ele foi entrevistado e perguntaram para ele 'por que você vai se candidatar por São Paulo?', 'Por que São Paulo é o meu ponto de passagem'. São Paulo para ele sempre foi um ponto de passagem”, disse Padilha. 

Posteriormente, Padilha analisou as justificativas risíveis de Sergio Moro sobre a sua mudança de endereço eleitoral.  “Ele disse que o vínculo dele com São Paulo é porque Maringá foi colonizada por paulistas. A outra justificativa dele é que ele recebeu a Honra ao mérito do Ipiranga pelo João Doria (ex-governador de São Paulo), os dois se abraçaram, Moro e Doria se afundando. Mas eu mostrei na peça jurídica que o Jimmy Carter (ex-presidente dos EUA), o Rei Juan Carlos (monarca da Espanha) da Espanha recebeu a mesma homenagem e nenhum deles saiu candidato pelo estado de São Paulo”, afirma Padilha. 

Para Alexandre Padilha, a figura de Sergio Moro, que tinha certeza de que seria ungido à candidato da presidência da República, se apequena a cada dia que passa. “Para mim está muito claro o quanto que o ex-juiz Moro fica cada vez menor: ele achava que seria ungido a candidato a presidente da República, se filiou no Podemos. Ele assumiu em fevereiro desse ano a vice-presidência do Podemos no Paraná, ou seja, demarcando que a atuação política dele seria no Paraná. A tentativa da candidatura dele foi fiasco, foi mais um passo em demonstração ao quão pequeno ele é”, analisa. 

O deputado também afirma que a própria elite abandonou Sergio Moro. “A elite ficou envergonhada com a postura dele enquanto pré-candidato à presidência, não conseguiu viabilizar e, na prática, ele foi atrás igual ao um caixeiro viajante e o União Brasil disse 'a gente topa filiar você aqui, mas desde que você seja candidato a deputado federal ou estadual pelo estado de São Paulo', porque a lógica do União Brasil era buscar mais votos e eleger mais deputados”. 

 

Hub eleitoral 

 

Na ação movida por Alexandre Padilha foi pedido que Sergio Moro apresentasse comprovante de residência em São Paulo, o que ele não conseguiu fazer. “O comprovante que ele apresentou de residência era um contrato com um hotel que ele ia começar a ocupar a partir do dia 1º de abril, ele apresentou como comprovante o contrato de um quarto que estava fechado. Quando nós exigimos que ele apresentasse as notas fiscais do hotel que ele ficava em São Paulo, quantas noites ele ficou, não dá 15 noites de novembro até março... é um escárnio”, critica. 

“O voto do relator foi primoroso, só faltou ele falar: 'Moro, não basta ter convicção, tem que ter prova' e ele não apresentou nenhuma prova de que morava em São Paulo, nem a OAB dele é de São Paulo. Agora ele vai tentar se candidatar pelo paraná”, diz Padilha. 

Por fim, Padilha afiram que derrotar Moro nesta ação no TRE foi importante, pois, “ele se acha acima da lei. Ele se achava acima da lei na condição de ex-juiz. Julgou o presidente Lula acima da lei, foi questionado pelo STF, quando ministro da Justiça ele também tomou atitudes acima da lei. Quer se jogador? Desce para o play e vem seguir as regras, mas ele quis criar uma regra própria. Essa turma da Lava Jato se achava acima da lei. Moro, foi mexer na mortadela, se deu mal, você que é coxinha, foi mexer na mortadela, se deu mal”, ironiza Alexandre Padilha.