Deputado bolsonarista divulga pedido de prisão de Alexandre Moraes: “STF afronta Constituição”

Pedido de prisão do ministro do STF, teria sido feito neste sábado (10). "Alexandre envergonha a nação brasileira", tuitou o deputado general Girão Monteiro

Publicidade

Um dos mais ferrenhos soldados da tropa de choque de Jair Bolsonaro na Câmara Federal , o general Girão Monteiro (PSL-RN) divulgou um suposto pedido de prisão do ministro Alexandre Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), que teria sido pedido neste sábado (10) por um advogado identificado como Paulo Faria e reproduzido por um site bolsonarista.

Leia também
Bia Kicis, General Girão, Guiga Peixoto e Aline Sleutjes são acusados de usar verba pública em atos golpistas
Eleito deputado, general aliado de Bolsonaro quer “destituição e prisão de vários ministros do STF”

Publicidade

O parlamentar ainda atacou o ministro e a corte, dizendo que o STF “tem afrontado a Constituição Federal”.

“O Brasil reza para que não seja mais um espetáculo jurídico. As afrontas contra a Constituição e as garantias individuais foram exorbitantes. Prisões ilegais, presos políticos e processos e investigações sem fundamento ou materialidade de crime. “Tudo isso, diante de uma corte corporativista e que protege seus pares, deixando de lado a soberana vontade popular. @alexandre envergonha a nação brasileira. E o @STF_oficial, que deveria ser o guardião, só tem afrontado a Constituição Federal”, tuitou Girão.

Publicidade
Publicidade

O pedido de prisão acontece no mesmo dia em que Jair Bolsonaro aumentou, mais uma vez, o tom dos ataques contra o ministro Luis Roberto Barroso, do STF e presidente do Tribunal Superior Eleitoral, durante motociata em Porto Alegre.

Avatar de Plinio Teodoro

Plinio Teodoro

Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR