sábado, 19 set 2020
Publicidade

Justiça suspende publicidade de R$ 35 milhões da prefeitura de Porto Alegre nas capas da Folha, Valor e Estadão

A campanha publicitária de quase R$ 35 milhões promovida pelo prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Jr (PSDB), foi suspensa nesta quinta-feira (2) por determinação da juíza Keila Silene Tortelli. A magistrada acatou liminar apresentada pelo Sindicato dos Municipários de Porto Alegre (Simpa) na terça-feira (31).

“O exorbitante valor gasto em publicidade já chama a atenção, tendo em vista o momento crítico das contas públicas, inclusive com parcelamento de salário do funcionalismo público”, afirma a juíza, que ainda considera que a publicidade não segue os parâmetros de ser de cunho “educativo, informativo ou de orientação social à população”.

Em nota publicada na terça-feira, o Simpa afirma que o valor de R$ 34.935.000,00 gasto na campanha “POA pra frente, POA pra gente” é superior à previsão de arrecadação do município com o aumento do valor do IPTU. A ação de marketing chamou atenção por estampar a prefeitura de Porto Alegre na capa de Folha, Valor e Estadão. “O gasto em publicidade é 445% maior do que o gasto em propaganda efetivado em 2018”, diz ainda o sindicato.

O Simpa ainda considera que Marchezan faz campanha eleitoral antecipada. “Em escancarada propaganda eleitoral antecipada, as peças de mídia estão sendo veiculadas em todo o país e não cumprem com o caráter informativo de interesse público de Porto Alegre”, afirma.

Pesquisas eleitorais

Em pesquisas de opinião, o atual prefeito não aparece bem colocado. Em levantamento realizado Instituto Methodus para o jornal Correio do Povo, Marchezan aparece com menos de 9% em todos os cenários pesquisados, bem distante de Manuela D’Ávila (PCdoB), que oscila entre 16,5% e 28,7% dependendo do cenário.

Confira a decisão judicial, obtida pelo portal Sul21.

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.