terça-feira, 29 set 2020
Publicidade

Com 100 mil mortos, Bolsonaro compartilha dados positivos de covid-19 e parabeniza Palmeiras

Após o Brasil superar a marca de 100 mil óbitos por coronavírus neste sábado (8), o presidente Jair Bolsonaro compartilhou nas redes sociais uma mensagem de sua equipe de comunicação que lamenta mortes pela covid-19 “assim como por outras doenças” e pede a divulgação de dados positivos.

Pouco depois das 19 horas, Bolsonaro publicou uma foto vestido com a camisa do Palmeiras, acompanhada da descrição “parabéns Palmeiras campeão paulista 2020”. O clube venceu o Corinthians no campeonato estadual também neste sábado.

Em seguida, o presidente compartilhou a postagem da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (Secom)sobre a pandemia.

“Todas as vidas importam: as que vão e as que ficam. Lamentamos as mortes por Covid, assim como por outras doenças. Nossas orações e nossos esforços têm a força de um governo que dá tudo para salvar vidas. Toda a assistência possível à saúde dos brasileiros foi dada”, diz a publicação.

A imagem que acompanha o texto traz uma lista de “números que merecem ser divulgados”.

A Secom diz que o país tem “um dos menores índices de óbitos por milhão entre as grandes nações”. O Brasil tem um índice de 48 mortes por covid-19 para cada 100 mil habitantes, similar ao dos EUA e muito menor do que o de países europeus como a Bélgica (86), o Reino Unido (70) e a Itália (58), mas muito maior, por exemplo, que o da vizinha Argentina (10), ou mesmo maior que a França (45) e o México (41)

A lista prossegue afirmando quase 3 milhões de vidas foram salvas ou estão em recuperação que o Brasil é “sempre um dos países que mais recupera infectados” e “sempre com índice de recuperação acima dos 95%”.

O Brasil registrou até este sábado mais de 3 milhões de casos de infecções pelo coronavírus, número subnotificado conforme indicam estudos de campo. É o segundo país no mundo em número de infectados e, por isso, é natural que tenha mais curados do que outras nações onde menos gente adoeceu.

Até o momento, o único país que supera o Brasil são os EUA, que beiram os 5 milhões de casos ou 60% mais infecções. A população americana é 57% maior que a brasileira.

“Vamos tocar a vida. Tocar a vida e buscar uma maneira de se safar deste problema”, disse Bolsonaro, quando os números se aproximavam dos 100 mil, em transmissão nas redes sociais, na última quinta-feira (6).

O presidente do Congresso Nacional, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, decretaram luto oficial por quatro e três dias, respectivamente.

Ricardo Ribeiro
Ricardo Ribeiro
Correspondente da Fórum na Europa. Jornalista e pesquisador, é mestre em Jornalismo e Comunicação pela Universidade de Coimbra e doutorando em Política na Universidade de Edinburgh. Trabalhou na Folha de S.Paulo, Agora e UOL, entre 2008 e 2017, como repórter e editor.