Gil do Vigor avisa: crise só vai acabar “quando Bolsonaro sair do poder”

O ex-BBB se juntou a uma série de outros artistas que, após o Brasil atingir a marca de 500 mil mortos na pandemia, foram às redes defender o impeachment do presidente

O ex-BBB Gil do Vigor foi às redes sociais nesta segunda-feira (21) para, segundo ele, responder uma pergunta que os seus seguidores vivem fazendo: quando vai acabar a crise no Brasil?

“Muitos me questionam quando a crise vai acabar e o Brasil voltar a crescer, portanto decidi responder: QUANDO O BOLSONARO E SUA TURMA SAIREM DO PODER!”, escreveu Gil do Vigor.

Desde que o Brasil atingiu a triste marca de 500 mil mortos por Covid-19, uma série de artistas resolveram descer do muro e defender o impeachment do presidente.

Entre os artistas, destaque para a cantora Anitta, que nesta segunda-feira culpou o presidente Bolsonaro (sem partido) pelas 500 mil mortes e defendeu a sua saída do poder.

Mas, teve artista que foi às redes lamentar as milhares de mortes por Covid, todavia, isentou o governo federal de qualquer culpa ou relação com as mais de 500 mil mortes na pandemia no Brasil. Entre elas, a cantora Ivete Sangalo, que fez a isenta e acabou sendo cobrada por parte de seus fãs.

Notícias relacionadas

Avatar de Marcelo Hailer

Marcelo Hailer

Jornalista (USJ), mestre em Comunicação e Semiótica (PUC-SP) e doutor em Ciências Socais (PUC-SP). Professor convidado do Cogeae/PUC e pesquisador do Núcleo Inanna de Pesquisas sobre Sexualidades, Feminismos, Gêneros e Diferenças (NIP-PUC-SP). É autor do livro “A construção da heternormatividade em personagens gays na televenovela” (Novas Edições Acadêmicas) e um dos autores de “O rosa, o azul e as mil cores do arco-íris: Gêneros, corpos e sexualidades na formação docente” (AnnaBlume).

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR