Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
31 de outubro de 2019, 16h29

PSL repudia declarações pró-AI-5 de Eduardo Bolsonaro, líder do partido na Câmara

"Em nosso partido, a democracia não é negociável. Fica aqui nossa manifestação de repúdio a esta tentativa de golpe ao povo brasileiro", afirmou o PSL, partido que elegeu Eduardo Bolsonaro como deputado.

Bolsonaro e Luciano Bivar (Reprodução)

Nem mesmo o próprio PSL saiu em defesa do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), que é líder do partido na Câmara dos Deputados. Em nota assinada pelo presidente nacional da sigla, o deputado Luciano Bivar (PSL-PE), a legenda que elegeu o presidente Jair Bolsonaro manifestou repúdio nesta quinta-feira (31) às declarações de Eduardo a favor do retorno do Ato Institucional nº 5 (AI-5).

“A simples lembrança de um período de restrição de liberdades é inaceitável […] Não podemos permitir que sejam abalados pilares democráticos caros, como a tolerância, a prática de aceitar o contraditório, as críticas e o trabalho importante da imprensa, que deve ser livre, sem amarras de qualquer tipo. O PSL é contra qualquer iniciativa que resulte em retirada de direitos e garantias constitucionais”, diz trecho da nota.

O PSL ainda comenta sobre as vítimas do período militar e os esforços travados para o restabelecimento da democracia: “O Brasil demorou anos para voltar a respirar democracia e a eleger diretamente seus representantes, a um custo altíssimo, tanto para o Estado quanto para as vítimas do regime transitório”.

“Em nosso partido, a democracia não é negociável. Fica aqui nossa manifestação de repúdio a esta tentativa de golpe ao povo brasileiro”, finaliza Bivar, em tom duro. O dirigente comanda uma ala interna no partido contrária à posição de Eduardo Bolsonaro como líder da legenda na Câmara.

Partidos da oposição afirmaram também que vão representar contra Eduardo no Conselho de Ética da Câmara e vão mover uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF). Outros partidos também condenaram a declaração, e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, sinalizou que o filho de Bolsonaro pode ser punido.

Notícias relacionadas


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum